X

QUERO AGENDAR

VOCÊ DESEJA AGENDAR:
EXAME CONSULTA

ESPECIALIDADES / MEDICINA INTERNA

É a grande divisão da medicina que engloba todas as áreas não cirúrgicas, sendo subdividida em várias outras especialidades e áreas de atuação.

 

Endocrinologia e Metabologia

A endocrinologia é a especialidade médica que estuda o sistema endócrino, suas desordens, as secreções glandulares específicas, chamadas hormônios, a integração de eventos do desenvolvimento, tais como a proliferação, crescimento e diferenciação de células e tecidos (incluindo a histogênese e a organogênese) e a coordenação do metabolismo, respiração, excreção, reprodução e percepção sensorial dependentes de marcadores químicos (substâncias sintetizadas e secretadas por células especializadas).

A endocrinologia preocupa-se com o estudo da biossíntese, armazenamento, química, bioquímica e função fisiológica dos hormônios e com as células das glândulas endócrinas e tecidos que os secretam.

O endocrinologista trata de várias doenças muito prevalentes em nosso meio e intrinsicamente associadas ao estilo de vida e ao sedentarismo, tal como o diabetes mellitus, exercendo, também, papel central no tratamento multidisciplinar da obesidade.

Endoscopia Digestiva

O termo endoscopia significa “olhar por dentro” e tipicamente se refere ao ato de olhar dentro do corpo humano por razões médicas usando um endoscópio, que é o instrumento usado para examinar órgãos tubulares ocos ou cavidades.

A endoscopia é uma grande ferramenta para o Gastroenterologista e para o Cirurgião do Aparelho Digestivo, pois permite o diagnóstico e, muitas vezes, o tratamento de inúmeras doenças do trato digestivo.

O endoscópio é um tubo flexível, com diâmetro externo que varia entre 0,6 e 1,2 cm, que possuí em sua ponta um pequeno chip eletrônico (CCD, charge-coupled device), semelhante aos encontrados em câmeras digitais, que capta imagens, as converte em sinais elétricos digitais, que são conduzidos até uma unidade de processamento, que os converte dessa vez em imagens de alta resolução, que são apresentadas ao médico examinador num monitor de vídeo.

Outro avanço tecnológico que permitiu a criação dos endoscópios modernos foi o desenvolvimento das fibras óticas, que são filamentos, finos e transparentes, feitos de sílica (vidro) ou plástico, que funcionam como guias para a luz, permitindo transmitir a luz de uma ponta à outra, mesmo que existam grandes angulações ao longo de todo o comprimento da fibra.

Com o auxílio das fibras óticas, o endoscópio adquiriu a capacidade de iluminar o interior das estruturas e cavidades que são examinadas.

A endoscopia digestiva, deixou de fazer apenas diagnósticos, e evoluiu em direção ao tratamento de inúmeras condições, tais como: retirada de pólipos intestinais (polipectomia), controle de sangramentos, dilatação de estreitamentos, retirada de corpos estranhos etc.

Como especialidade médica reconhecida, a endoscopia está presente no ramo cirúrgico da Medicina (a cirurgia videlaparoscópica é uma modalidade de endoscopia, onde o aparelho é inserido por pequenas incisões cirúrgicas) e, também, no ramo clínico (endoscopia digestiva alta e baixa, onde o aparelho é inserido pela boca e ânus, respectivamente).

Tradicionalmente, o Gastroenterologista recebe treinamento formal em endoscopia digestiva e o Cirurgião do Aparelho Digestivo recebe treinamento em cirurgia videolaparoscópica.

Gastroenterologia

É uma das grandes especialidades médicas dentro da Medicina Interna, focada no aparelho digestivo (esôfago, estômago, intestinos, fígado e vias biliares e pâncreas) e suas desordens.
O seu nome deriva da combinação de palavras do Grego antigo: gaster (estômago), enteron (intestino) e logos (razão, causa).

Médicos que atuam nessa especialidade são chamados de “Gastroenterologistas”. Esses profissionais, após os 6 anos de graduação em Medicina, realizam mais dois anos de treinamento, em regime de residência médica, na área de Medicina Interna e, posteriormente, mais dois anos de residência médica em Gastroenterologia.

Dentro da especialidade existe ainda a opção de permanecer mais um ou dois anos para treinamento específico em outros tópicos, tais como: transplante hepático, hepatologia, endoscopia das vias biliares, ecoendoscopia, distúrbios da motilidade gastrointestinal etc.

Outras especialidades médicas têm tempos de formação semelhantes aos da Gastroenterologia.

Infectologia

É a especialidade médica responsável pelo estudo das causas e tratamentos das doenças infecciosas, transmissíveis ou contagiosas, que podem ser causadas por diferentes patógenos, tais como: vírus, bactérias e fungos.

A infectologia compartilha com a Gastroenterologia, assim como com outras especialidades, interesses comuns, particularmente no campo das hepatites virais, no tratamento de infecções atípicas, ou de curso atípico, do trato gastrointestinal de pacientes imunocompetentes ou em uso de medicamentos que deprimem o sistema imunológico (os imunossupressores, que são usados no tratamento das doenças inflamatórias intestinais, nas hepatites autoimunes e também nos pacientes transplantados) entre outros.

Reumatologia

É a especialidade médica que trata das doenças do tecido conjuntivo, articulações e doenças autoimunes.
Diferente do senso comum o reumatologista não trata somente de reumatismos.

A Reumatologia é uma especialidade médica em evolução rápida, com grandes avanços decorrentes principalmente de novas descobertas científicas no campo da imunologia das desordens reumatológicas.
Assim como a Infectologia, a Reumatologia também compartilha interesses comuns com a Gastroenterologia, notadamente no estudo das doenças autoimunes, que são condições onde o sistema imunológico de um indivíduo agride inapropriadamente células, tecidos e substâncias naturalmente produzidas no organismo.
Em outras palavras, o sistema de defesa da pessoa acometida identifica equivocadamente alguma parte do seu próprio corpo como um invasor e ataca, causando danos.

AGENDAR CONSULTA dúvidas? veja nossas respostas
TRABALHE CONOSCO